Instituto Unibanco reúne 250 gestores do ES em Seminário sobre Gestão Escolar

O Seminário Estadual de Gestão Escolar para Resultados de Aprendizagem – Espírito Santo foi realizado ontem, 28 de outubro, no Sesc Praia Formosa, em Aracruz (ES), pelo Instituto Unibanco, em parceria com a Secretaria da Educação do Espírito Santo, para promover um debate sobre o papel da gestão escolar para a melhoria da qualidade da educação pública.

Representantes das redes de ensino do Ceará e Rio de Janeiro foram convidados para compartilhar suas experiências de gestão escolar com cerca de 250 agentes públicos da política educacional capixaba dentre diretores de escolas, supervisores, superintendentes regionais e equipe técnica do governo estadual.

Haroldo Rocha, secretário de Estado da Educação do Espírito Santo, abriu o evento e destacou o impacto dessas discussões no trabalho dos gestores. “Essa troca de experiências com outros estados é muito importante porque o dia a dia do gestor escolar é muito intenso. Aqui tivemos dois casos de sucesso e de mudança rápida, Ceará e Goiás, por aplicação da metodologia. Isso dá um conforto, dá mais segurança, gera um grau de confiança maior e isso impulsiona eles a buscarem o resultado”.

O secretário também enfatizou a importância do planejamento e do método para alcançar os resultados almejados por cada escola. “Nós não trabalhamos improvisando, saímos de casa com um rumo traçado”, afirmou.

Ricardo Henriques, superintendente executivo do Instituto Unibanco ressaltou que é preciso “incorporar modos de trabalho no cotidiano que estejam operando a serviço do pedagógico”. Henriques também falou sobre como padrões podem viabilizar a autonomia das escolas: “Padrão não é sistema de controle, é entendimento do que é a melhor prática e a sistematização dela.” Outro ponto destacado pelo superintendente foi a equidade, que afirmou ser “o princípio chave para a gestão escolar orientada para resultados de aprendizagem. É preciso ter ações afirmativas voltada para grupos de maior vulnerabilidade e isso é decisão de gestão.”

Júlia Sant’Anna,  assessora especial de infraestrutura e tecnologia da Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro, e Maria Elisabete de Araújo, responsável pela área de Gestão Escolar da Coordenadoria de Desenvolvimento da Escola e da Aprendizagem (CODEA) da Secretaria Estadual de Educação do Ceará, relataram experiências bem sucedidas nos respectivos estados e as dificuldades enfrentadas para realizá-las.

Sant’Anna enfatizou a importância do aprimoramento das ações de acompanhamento e contou sobre a rotina mensal de acompanhamento que criaram no estado para garantir que as metas definidas por escola sejam atingidas. Supervisores das regionais do Rio de Janeiro fazem reuniões mensais com diretores e professores e, caso a escola não tenha alcançado a meta, elaboram juntos ajustes de ações. Esses resultados são apresentados e debatidos bimestralmente com o secretário de educação.

Araújo relatou como o projeto Professor Diretor de Turma, no qual um professore fica responsável pelos estudantes de uma sala, melhorou a relação aluno-escola. “Nós precisamos conseguir chegar dentro da sala de aula para apoiar melhor o professor”, defendeu. “Delegar é dividir responsabilidade. Responsabilidade e autonomia se faz junto.”

Alexsandro do Nascimento Santos, doutor em História da Educação pela Universidade de São Paulo (USP), falou sobre autonomia e gestão escolar para resultados. Santos ressaltou que a gestão democrática da escola pública “aperfeiçoa a administração escolar porque ela reconhece os sujeitos, garante a escuta dos sujeitos e amplia a visão do diretor” e explicitou que a autonomia da escola têm limites. “A autonomia da escola é sempre fruto de uma negociação implícita ou explícita entre a unidade e o sistema de ensino.”

No período da tarde, os diretores se dividiram em grupos para debater os conteúdos apresentados pelos palestrantes e sistematizaram questões direcionadas a eles. Entre elas, foram apresentadas perguntas sobre o papel do diretor e motivação dos professores.

Nesse contexto, Sant’Anna falou sobre a importância de uma “gestão criativa” para lidar com as dificuldades na rotina da escola e do plano de carreira para docentes implementado no Rio de Janeiro. Já Araújo relatou como a troca de experiências entre gestores escolares do Ceará colaborou para o aprimoramento de ações; e Santos destacou a importância da corresponsabilização entre escolas e secretarias.


Categorias:

Instituto Unibanco e Folha de S.Paulo promovem o Seminário Internacional “Caminhos para a Qualidade da Educação Pública: Gestão Escolar”

O Instituto Unibanco e a Folha de S.Paulo, com apoio do Insper, promovem o Seminário Internacional Caminhos para a qualidade da educação pública: Gestão Escolar nos dias 2 e 3 de setembro, no Espaço Immensitá, em São Paulo. O evento tem por objetivo promover a discussão em torno da gestão escolar para a melhoria da qualidade da educação e o diálogo entre a experiência brasileira e casos internacionais que alcançaram resultados relevantes de aprendizagem de seus estudantes. 


A abertura do seminário internacional será realizada pelo secretário de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Manuel Palácios, pelo vice-presidente do Conselho de Administração do Instituto Unibanco e ex-ministro, Pedro Malan, e pelo secretário de redação da Folha de S.Paulo Vinicius Mota. Ricardo Henriques, superintendente do Instituto Unibanco, dará início às discussões com a apresentação Gestão Escolar para resultados de aprendizagem: mérito, autonomia e equidade. “Acreditamos que a gestão escolar voltada para resultados de aprendizagem dos estudantes é fundamental para que a escola pública seja mais democrática, participativa e contribua com a redução das desigualdades” afirma Ricardo Henriques. 


O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, fará a abertura do segundo dia do seminário com a conferência “Ética e qualidade da gestão pública”. 


Participam do seminário a vice-ministra da Educação da Província de Ontário (Canadá), Mary Jean Gallagher, que apresentará o sistema educacional adotado no país e os importantes resultados de aprendizagem alcançados, e Barry McGaw, ex-presidente do conselho da Australian Curriculum, Assessment and Reporting Authority, da Austrália. As experiências do Reino Unido em gestão escolar serão apresentadas por Michael Wilshaw, atual chefe de Inspeções do Ofsted (Office for Standards in Education – Escritório de Padrões na Educação), que fiscaliza as escolas britânicas, desde as instalações, finanças, passando pela liderança, documentação de políticas, até a qualidade do ensino.


Também participarão dirigentes do Ministério da Educação, das Secretarias Estaduais e Municipais de Educação, agentes públicos da política educacional, representantes de organizações da sociedade civil, de organismos multilaterais e pesquisadores atuantes na área da educação. 


Entre as questões, serão apresentadas e debatidas diferentes maneiras de estabelecer e perseguir metas de aprendizagem, modelos de articular os agentes dos sistemas educacionais – dos órgãos centrais, às escolas –, além das competências necessárias para o exercício das diversas atribuições do sistema educacional. 


Durante o evento, o Instituto Unibanco também lançará o edital Gestão Escolar para Equidade: Elas nas Exatas, que selecionará e apoiará projetos voltados para o Ensino Médio que estimulem o interesse das jovens estudantes  em cursos e disciplinas ligados às exatas e ciências naturais. 



Para saber mais acesse www.seminariogestaoescolar.org.br.



Categorias:

Abertas as inscrições para os cursos das Metodologias Jovem de Futuro para Ceará e Goiás

Estão abertas as inscrições para os cursos a distância (EaD) das Metodologias Jovem de Futuro para Ceará e Goiás. As Metodologias são estratégias que, inseridas no Plano de Ação, auxiliam as escolas a alavancar seus resultados.

As inscrições devem ser feitas pelo gestor da escola no Sistema de Gestão de Projetos (SGP) até 6 de setembro, ou enquanto existirem vagas, que somam 5 mil. São 27 vagas por escola, sendo 3 por Metodologia, e cada professor pode ser inscrito em apenas uma. Mas não esqueça: é importante ter em mãos nome completo, CPF e e-mail dos professores que serão inscritos.

Todos os cursos acontecerão de 28 de setembro até 1º de novembro. Acesse aqui o tutorial para as inscrições na EaD.

As Metodologias permitem fomentar ações, projetos e trabalhos interdisciplinares, apoiando as escolas na superação de dificuldades e fragilidades e na articulação com a comunidade. As Metodologias também oferecem insumos para a elaboração de propostas de intervenção para enfrentar algumas das causas do baixo desempenho e frequência, além do alto índice de evasão dos alunos do Ensino Médio.

Bloco Informativo

Para escolher os cursos das metodologias mais adequadas à realidade a aos desafios da escola, consulte o Bloco Informativo. Nele são apresentadas sínteses das Metodologias Jovens de Futuro para que a escolha dos cursos esteja alinhada ao Plano de Ação da escola e potencialize o seu trabalho. É importante que os gestores, coordenadores e professores conheçam as Metodologias para garantir que elas respondam de maneira mais eficaz às demandas da escola.

O Bloco Informativo está disponível no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) para o grupo gestor da escola pelo endereço www.portalinstitutounibanco.org.br.

Estimule os professores da sua escola para participar das formações a distância!


Categorias:

Voltar ao topo


Instituto Unibanco | Copyright ©. Todos os direitos reservados.

Av. Paulista, 2073 – Cj. 6 – Edifício Conjunto Nacional - CEP 01311-300 - São Paulo - SP

TERMOS DE USO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE