Edital Gestão Escolar para Equidade Racial prorroga inscrições até o dia 17/10

Escolas e organizações sociais têm até o dia 17 de outubro para inscrever seus projetos no edital Gestão Escolar para a Equidade – Juventude Negra, lançado pelo Instituto Unibanco, o Fundo Baobá e a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), com a colaboração técnica do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades (CEERT). O prazo, que terminou na última sexta-feira, foi prorrogado por mais uma semana – até o dia 17. Os interessados devem se inscrever por meio do site do Fundo Baobá: http://www.baoba.org.br.

Poderão ser inscrever escolas públicas de Ensino Médio, de todo o Brasil, e organizações com interesse na área da educação e superação das desigualdades raciais, desde que atuem em parceria com escolas. As solicitações de apoio deverão ter valor máximo de R$ 30 mil, o que não impede que o custo total do projeto seja maior e tenha financiamento de outras fontes.

O objetivo do edital é contribuir para o desenvolvimento e a implementação de práticas inspiradoras de gestão escolar que busquem elevar os resultados educacionais dos jovens negros e negras. Na seleção, serão consideradas ações de gestão escolar que promovam o envolvimento dos jovens e da comunidade, assim como a possibilidade de serem replicadas em outras escolas. Os projetos serão escolhidos por um Comitê de Seleção, formado por representantes do Fundo Baobá, do Instituto Unibanco e da UFSCar e deverão prever duração total de 12 meses.

Para Ricardo Henriques, superintendente executivo do Instituto Unibanco, a questão racial se impõe no Ensino Médio. “Nossa expectativa com o edital é incidir nesta realidade. As disparidades reveladas pelos indicadores escolares de jovens negros e negras estão diretamente vinculadas às relações raciais dentro e fora da escola. A gestão escolar pode e deve identificar as situações de desigualdade que afetam particularmente esses estudantes e implementar ações para enfrentá-las”, diz Henriques. “A gestão escolar necessita criar condições de equidade e valorizar a diversidade, apoiando a construção da identidade e do pertencimento das novas gerações de afrodescendentes. Deve contribuir ainda para a redefinição das relações raciais entre os estudantes, assim como entre estudantes e professores, através do (re)conhecimento, sobretudo pelos jovens negros e pelas jovens negras, de sua origem, história e cultura nos conteúdos curriculares e nos processos de ensino-aprendizagem”, completa.

Resultados educacionais

Vários estudos mostram que há resultados educacionais significativamente piores entre os jovens negros e negras quando comparados aos de jovens brancos e brancas. Em 2010, a porcentagem de jovens de 15 a 17 anos cursando o Ensino Médio era de 55% entre os brancos e 41% entre os negros (Censo/IBGE 2010). Entre os jovens de 18 e 19 anos, 47% dos brancos haviam concluído o Ensino Médio enquanto somente 29% dos negros finalizaram essa etapa (Censo/IBGE 2010).


O lançamento do edital Gestão Escolar para a Equidade – Juventude Negra é uma das formas encontradas pelas entidades para contribuir com a reversão desse quadro, selecionando e premiando projetos que promovam a gestão escolar que, a partir do reconhecimento das desigualdades raciais, planeje, execute e monitore medidas para criar condições de equidade e valorizar a diversidade.

Prazos do Edital:

Inscrições: Até 17 de outubro de 2014

Seleção de projetos:  17 de outubro a 24 de novembro de 2014

Divulgação – Resultados:  25 de novembro de 2014

Formalização do apoio: 26 de novembro a 15 de dezembro de 2014

Execução dos projetos: 01 de janeiro a 31 de dezembro de 2015

Apresentação de relatório: Até 31 de dezembro de 2015



Categorias:

EaD: formação sobre as Metodologias Jovem de Futuro já começou

EaD: formação sobre as Metodologias Jovem de Futuro já começou

Os cursos de Educação a Distância (EaD) sobre as Metodologias Jovem de Futuro para os professores das escolas participantes do Programa Ensino Médio Inovador/Jovem de Futuro (ProEMI/JF) iniciaram nesta segunda-feira (6).

Cerca de 30 mil docentes de mais de duas mil escolas parceiras do ProEMI/JF se inscreverem na formação. O objetivo é disseminar e favorecer a implementação das metodologias pedagógicas e de gestão escolar do projeto nas escolas públicas parceiras.

Os cursos também buscam contribuir para o desenvolvimento pessoal e profissional dos professores, constituindo uma importante ferramenta para a construção colaborativa de conhecimentos e o compartilhamento de informações entre grupos.

A formação é dividida em quatro módulos: panorama da Metodologia; discussão de temas relacionados ao conteúdo da Metodologia; passo a passo para a implementação da Metodologia na escola; e reflexão sobre a prática realizada. Os cursos têm o acompanhamento de um tutor virtual especializado.

A grade do curso inclui cinco Metodologias Pedagógicas e uma Metodologia de Mobilização e Articulação, respectivamente: Entendendo o Meio Ambiente Urbano, Entre Jovens – Língua Portuguesa e Matemática (1º e 3º anos); Introdução ao Mundo do Trabalho; Jovem Cientista; Valor do Amanhã na Educação e Agente Jovem. A formação tem duração de quatro semanas e será encerrada no dia 02/11.

Ao terminar o curso, o participante poderá avaliar o conteúdo e registrar seus comentários, críticas e sugestões. Esta avaliação de qualidade estará disponível até o dia 09 de novembro. É muito importante que todos os docentes que participarão da formação respondam a pesquisa para que possamos melhorar os próximos cursos ofertados. Também após a finalização, o participante poderá imprimir o seu termo de conclusão caso tenha cumprido a frequência mínima de 75%, realizado a Avaliação de Qualidade e alcançado nota igual, ou superior a 7  na média das atividades avaliativas.

Em caso de dúvidas, entre em contato por meio dos telefones abaixo:

Capitais e regiões metropolitanas: 4003-6833
Demais localidades: 0800-722-0285

Atendimento das 08h às 20h30, de segunda a sexta-feira.






Categorias:

Inscrições para edital Gestão Escolar para equidade racial terminam na sexta (10)

Escolas e organizações sociais têm até a próxima sexta-feira (10) para inscrever um projeto que promova uma gestão escolar que, a partir do reconhecimento das desigualdades raciais, planeje, execute e monitore medidas para criar condições de equidade e valorizar a diversidade. Esse é o propósito do edital “Gestão Escolar para Equidade”, promovido pelo o Instituto Unibanco, o Fundo Baobá para Equidade Racial e o Núcleo de Estudos Afrobrasileiros da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). 

O objetivo é contribuir para o desenvolvimento e a implementação de práticas inspiradoras de gestão escolar que busquem elevar os resultados educacionais dos jovens negros e negras.

Na seleção, serão consideradas ações de gestão escolar que promovam o envolvimento dos jovens e da comunidade, assim como a possibilidade de serem replicadas em outras escolas. As solicitações de apoio deverão ter valor máximo de R$ 30 mil, o que não impede que o custo total do projeto seja maior e tenha financiamento de outras fontes.

Os projetos serão escolhidos por um Comitê de Seleção, formado por representantes do Fundo Baobá, do Instituto Unibanco e da UFSCar e deverão prever duração total de 12 meses.

Para Ricardo Henriques, superintendente executivo do Instituto Unibanco, “o Ensino Médio não é adequado para a juventude e a questão racial se impõe neste cenário. Nossa expectativa com o edital é incidir nesta realidade. Não é um foco usual no mundo da pedagogia. Propomos enfrentar esses dilemas e propor soluções que possam ser difundidas. Ou seja, queremos gerar conhecimento, sistematizar e difundir”, completou.

As inscrições podem ser feitas até 10 de outubro de 2014 pelo site do Fundo Baobá: http://www.baoba.org.br.





Categorias:

Geekie prorroga prazo para simulado do Enem

A Geekie prorrogou o prazo de encerramento do segundo simulado online do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O prazo encerraria dia 01/10, mas agora os estudantes podem testar seus conhecimentos até as 12h da próxima segunda-feira, 06/10. Ainda na segunda, informou o GL

Na plataforma online, o estudante encontra exercícios para testar o seu conhecimento e fazer uma avaliação diagnostica, e as provas nas quatro áreas do conhecimento do Enem. Fazer o segundo simulado é importante para o aluno ver os seus pontos fracos e depois comparar a sua evolução quando estiver no ar o terceiro simulado.

Para participar, é preciso fazer um cadastro grátis no próprio site. A primeira atividade sugerida é um teste diagnóstico. O candidato então recebe um plano de estudos personalizado baseado nos seus resultados. Cada passo que o estudante dá na plataforma é registrado e, à medida que ele vai avançando, o programa se ajusta às suas necessidades.

Os simulados seguem as mesmas regras do exame do Ministério da Educação para que os estudantes testem a evolução do seu desempenho. O simulado da Geekie usa a TRI (Teoria de Resposta ao Item), a mesma metodologia utilizada no Enem, por isso permite fazer uma estimativa de quanto o candidato tiraria na prova. O segundo simulado atualmente aberto aos alunos tem as mesmas quatro provas do Enem, mas cada um traz 22 questões. Além disso, nessa segunda tentativa de testar os conhecimentos, os estudantes não têm horário fixo para terminar as provas.

O Instituto Unibanco é um dos parceiros do Geekie na realização dos simulados.

Saiba mais: http://www.geekiegames.com.br/



Categorias:

Instituto Unibanco organiza debate sobre educação inclusiva

Em parceria com o Instituto Rodrigo Mendes, o Instituto Unibanco realizou o evento “Ensino Médio – desafios e oportunidades da educação inclusiva”, dia 23/09 no Teatro Eva Herz, em São Paulo.

O evento contou com a participação de Rodrigo Mendes, fundador e superintendente do Instituto Rodrigo Mendes, Ricardo Henriques, superintendente executivo do Instituto Unibanco e Liliane Garcez, assessora especial da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida do município de São Paulo, que debateram a educação inclusiva no sistema público de ensino.

A discussão aconteceu a partir do documentário “Outro Olhar” - iniciativa do Instituto Rodrigo Mendes e produção de Maria Farinha Filmes.O vídeo conta a história de Renata Basso, estudante com Síndrome de Down que acaba de completar o Ensino Médio no Colégio Coronel Pilar no município de Santa Maria, Rio Grande do Sul. A produção do documentário contou com o apoio do Instituto Alana e Itaú BBA, além do Instituto Unibanco.

Para Ricardo Henriques, “o Ensino Médio tem um problema estrutural, desde a estruturação do currículo, passando pela formação de professores - que é distanciada da prática – chegando a gestão escolar. Isso tudo se configura em um tripé frágil, que pune a todos, mas ainda mais os estudantes com deficiência”, resumiu.

O evento foi parte da Semana da Ação Mundial pela Educação (SAM), uma iniciativa da Campanha Global pela Educação (CGE) que acontece simultaneamente em mais de 100 países e este ano aborda a ‘O direito à educação inclusiva – por uma escola e um mundo para todos’. No Brasil, a SAM  acontece de 21 a 27 de setembro. 




Categorias:

Voltar ao topo


Instituto Unibanco | Copyright ©. Todos os direitos reservados.

Av. Paulista, 2073 – Cj. 6 – Edifício Conjunto Nacional - CEP 01311-300 - São Paulo - SP

TERMOS DE USO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE