Escolas de SP e RJ recebem voluntários do Estudar Vale a Pena

Mais de 1.400 colaborados do conglomerado Itaú Unibanco (e seus convidados) se inscreveram para atuar na ação voluntária Estudar Vale a Pena.

As atuações dos voluntários acontecem até o final do mês de maio em escolas públicas de Ensino Médio da Grande São Paulo e município do Rio de Janeiro.

A ação voluntária Estudar Vale a Pena (EVP) é uma iniciativa do Instituto Unibanco, que visa sensibilizar jovens do Ensino Médio de escolas públicas sobre os benefícios de concluir os estudos, contribuindo para que construam novas visões de futuro e valorizem o papel da educação na sua vida. Por meio de dinâmicas, jogos e trocas de experiências, os voluntários oferecem aos jovens uma contribuição muito valiosa: a possibilidade de conhecerem trajetórias diferentes e refletirem, motivando-os e ajudando-os a perceber que, mesmo em um ambiente desafiador, é possível transformar a realidade.

Em sala de aula, no período noturno, os voluntários organizados em trios ou quartetos, contam suas trajetórias de vida aos alunos, como forma de estimular a reflexão sobre a importância de concluírem o Ensino Médio. São trabalhados conceitos como a relação entre as decisões de hoje e consequências futuras, caminhos para dar continuidade aos estudos, a influência da educação na renda e empregabilidade e fatores para o sucesso no mundo do trabalho, como comprometimento e dedicação.

Os voluntários recebem uma formação prévia e material específico para as atuações nas escolas.

Repetindo a boa experiência de 2013, no segundo semestre a ação acontecerá também em escolas públicas de Ceará e Goiás, participantes do ProEMI/JF, em parceria com as respectivas Secretarias Estaduais de Educação. O período de inscrições será de 27/7 a 15/8/2014. Participe!

 


Categorias:

Oitava edição do Congresso GIFE vai discutir capacidade transformadora do investimento social

Começa na próxima quarta-feira (19), em São Paulo, a 8ª edição do Congresso GIFE que debaterá a capacidade transformadora do investimento social. O evento do Grupo de Institutos, Fundações e Empresas (Gife) tem duração de três dias e reúne, a cada dois anos, lideranças nacionais e internacionais, investidores sociais, representantes do governo, academia, consultores e dirigentes de organizações da sociedade civil para debater e trocar experiências sobre investimento social privado.

O tema do Congresso de 2014 é “Investimento Social Transformador” e traz palestras como transformações do investimento social, o poder transformador do uso de dados, investimento social privado em políticas públicas, investimento social em cidades sustentáveis, dentre outros.

O evento pretende colocar em discussão a capacidade transformadora do investimento social. Para isso, os debates ocorrerão a partir de quatro eixos norteadores: Inovação, Impacto, Escala e Redes. O superintendente do Instituto Unibanco (IU), Ricardo Henriques, mediará a mesa ‘Mobilização e políticas públicas’, que debaterá questões como o papel da sociedade na esfera pública.

Os palestrantes que participarão dessa mesa são: Alessandra Orofino, cofundadora e Diretora Executiva do Meu Rio; Pedro Abramovay, diretor para a América Latina da Open Society Foundations; Pedro Henrique de Cristo, diretor do Parque Sitie na Favela do Vidigal e ativista do movimento Cidade Unida; e Rafael Oliva, diretor de Programas e Projetos do Oi Futuro, do instituto de responsabilidade social da Oi.

O Instituto Unibanco e a Fundação Itáu Social terão um stand no local.

As inscrições podem ser feitas pelo site. Para saber mais, acesse: www.congressogife.org.br


Categorias:

Olimpíada da Língua Portuguesa recebe inscrições até 30 de abril

As inscrições para a quarta edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro estão abertas e vão até o dia 30 de abril. Os professores interessados em participar devem se inscrever no portal da Olimpíada (www.escrevendoofuturo.org.br), e a rede de ensino também deve aderir ao programa para validar a inscrição do professor.

O evento é realizado a cada dois anos. No primeiro, são realizadas as formações dos professores, com orientações dos materiais fornecidos e participação em encontros que estimulam a reflexão sobre as práticas educativas. O processo formativo referente a esta edição da Olimpíada foi realizado no ano passado.

No segundo ano, acontece o concurso de produção de textos. Nesta quarta edição, o processo de seleção dos textos será feito ao longo deste ano em cinco etapas – escolar, municipal, estadual, regional e por último nacional –, e serão avaliados por comissões julgadoras específicas para cada etapa.

A Olimpíada é dividida em quatro gêneros literários: poesia, para alunos do 5º e 6º ano; memórias literárias para 7º e 8º; crônicas para alunos do 9º ano do Ensino Fundamental e do 1º ano do Ensino Médio; e artigos de opinião para alunos do 2º e 3º ano do Ensino Médio de escolas públicas de todo o país. O objetivo é desenvolver a prática de ler e escrever dos estudantes.

Os 20 vencedores nacionais serão anunciados em Brasília, no mês de dezembro. Os prêmios serão medalhas de ouro, um notebook e uma impressora para os alunos e professores escolhidos, e as escolas desses estudantes serão contempladas com laboratórios de informática, compostos por dez microcomputadores e uma impressora, além de um projetor, telão e livros.

A Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro é uma iniciativa do Ministério da Educação (MEC) e da Fundação Itaú Social, com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC).

Vencedora


A estudante do Rio Grande do Norte, Taiana Cardoso Novais, foi uma das vencedoras da edição de 2012. A potiguar participou da Olimpíada de 2010 e foi uma das finalistas. “Já tinha participado, mas não ganhei, então eu estava tentando não criar expectativas demais em 2012, embora eu estivesse otimista. O sentimento é praticamente indescritível, eu realmente não esperava que fosse ser escolhida”.

O tema da última Olimpíada foi “Lugar Onde Vivo”, e Taiana escreveu um artigo sobre a prostituição em Natal, texto que lhe trouxe a vitória. “Você pode conseguir o que quiser com garra e determinação. Não fui campeã em 2010, então em 2012 treinei mais, escrevi mais artigos. O processo de preparação foi bem mais intenso, até porque eu considero artigo um dos gêneros mais complexos. Aprendi que o que importa é não desistir. Ninguém nasce sabendo, portanto é só questão de batalhar pelo quer”, afirma a estudante.



Categorias:

Instituto Unibanco abre 30 mil vagas para cursos a distância

Trinta mil vagas serão abertas para os cursos em Educação a Distância das Metodologias Jovem de Futuro, do Instituto Unibanco. Destinados a professores das escolas parceiras do Programa Ensino Médio Inovador/Jovem de Futuro (ProEMI/JF), os cursos receberão inscrições de 1º a 21 de março, no Sistema de Gestão de Projetos (SGP), gratuitamente.

As inscrições devem ser feitas pelo diretor da unidade de ensino. Cada escola poderá inscrever até 27 educadores. Cada educador poderá ser inscrito em até três cursos. É necessário que o responsável pela inscrição esteja atento ao número de vagas disponíveis para a sua unidade e para o limite de vagas de cada Metodologia.

Neste semestre, são ofertadas 30 mil vagas para formações de oito Metodologias Pedagógicas e uma de Mobilização e Articulação:

Trinta mil vagas serão abertas para os cursos em Educação a Distância das Metodologias Jovem de Futuro, do Instituto Unibanco. Destinados a professores das escolas parceiras do Programa Ensino Médio Inovador/Jovem de Futuro (ProEMI/JF), os cursos receberão inscrições de 1º a 21 de março, no Sistema de Gestão de Projetos (SGP), gratuitamente.

As inscrições devem ser feitas pelo diretor da unidade de ensino. Cada escola poderá inscrever até 27 educadores. Cada educador poderá ser inscrito em até três cursos. É necessário que o responsável pela inscrição esteja atento ao número de vagas disponíveis para a sua unidade e para o limite de vagas de cada Metodologia.

Neste semestre, são ofertadas 30 mil vagas para formações de oito Metodologias Pedagógicas e uma de Mobilização e Articulação:


Ao todo, neste ano, serão ofertadas 60 mil vagas para os cinco estados nos quais o ProEMI/JF está implementado: Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará e Piauí.

Para conhecer em detalhes cada Metodologia Jovem de Futuroclique aqui e acesse o guia que traz informações sobre como implementá-las na sua, relacioná-las aos Macrocampos, entre outras informações.

Formação 
A primeira rodada de formação a distância será realizada entre 7 de abril e 11 de maio. Com duração de 40 horas, está dividida em quatro módulos: panorama da Metodologia; discussão de temas relacionados ao conteúdo da Metodologia; passo a passo para a implementação da Metodologia na escola; e reflexão sobre a prática realizada na unidade de ensino.

A formação acontece no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) do Instituto Unibanco, sempre com o acompanhamento de um tutor especializado e a apresentação de conteúdos em vídeo, animações e textos, além da realização de atividades de verificação da aprendizagem.

Ao término de cada curso, o professor poderá avaliar o conteúdo e registrar seus comentários, críticas e sugestões. Na ocasião, também poderá imprimir o seu termo de conclusão, caso tenha finalizado com a frequência mínima de 75%, realizado a Avaliação de Qualidade e alcançado nota superior a 7 na média das atividades avaliativas.

As Metodologias Pedagógicas e de Mobilização e Articulação do Jovem de Futuro são estratégias que, a partir do diagnóstico da realidade da escola, visam, sobretudo, a melhoria do clima na unidade de ensino e da aprendizagem dos estudantes, envolvendo toda a comunidade escolar.

Mais informações 



Categorias:

Voltar ao topo


Instituto Unibanco | Copyright ©. Todos os direitos reservados.

Av. Paulista, 2073 – Cj. 6 – Edifício Conjunto Nacional - CEP 01311-300 - São Paulo - SP

TERMOS DE USO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE